Eu Sou Ecole - Entrevista Lygia Falcão

O que te motivou a atuar como consultora de imagem? 

Sou advogada por formação pois na época em que prestei vestibular dizer que ia fazer faculdade de moda era algo que trazia consigo um ideia (equivocada, hoje eu sei) de que não seria possível construir uma carreira.

Mas sempre fui, entre as pessoas do meu convívio, tida como a "fashion", a que sabia combinar, a que possuía um incrível bom gosto, que aconselhava todas sobre que roupa usar em determinado evento, que emprestava meus acessórios... E, leonina que também sou, sempre adorei passar essa imagem.

Eis que em determinado ponto da vida assumi que o Direito não me realizava pessoal e nem profissionalmente  (por mais que eu fosse muito bem sucedida, remunerada e tenha conquistado valiosas amizades na sua prática). Era hora de buscar novos caminhos.

Mas, dentro de mim eu sabia que não era mais "só" moda. Era algo que ia além. Uma carreira na qual eu pudesse usar meus dons de palpiteira (sim, eu os considero dons) em prol da valorização da autoestima alheia.

Foi ai que surgiu a Consultoria de Imagem como A opção na minha vida!

 

Qual o potencial que você enxerga para esse mercado?

Deixando de lado o fato de que vivemos em um país que se encontra em crise e, a mentalidade mal informada dos que não conhecem a profissão e a julga fútil, acredito que ela tem tudo para se tornar uma das mais valorizadas do mercado.

Sim! Sou entusiasta!

Como não acreditar em uma profissão que fala do indivíduo, de autoconhecimento, de autoconfiança e de comportamento?

Estudos publicados que dão conta de que a primeira impressão que uma pessoa tem da outra se baseia 55% em sua aparência e ações. 55% é muita coisa!!!

E mais,  este julgamento é feito nos primeiros 10 segundos de convivência, ou seja, tão logo sejamos apresentados a alguém,  já estamos sendo "avaliados" quanto à  personalidade, classe social, nível de sucesso...

Esta avaliação pode ser positiva ou negativa e pode ou não refletir o que somos e a mensagem que queremos passar. Em tempos de desemprego, como o que o país atravessa, por exemplo, contratar um serviço de Consultoria de Imagem, deveria ser considerado INVESTIMENTO!

 

Como a formação da Ecole contribuiu para a sua atuação?

O fato de ter estudado em uma instituição com o nome e o peso da Ecole, sem a menor sombra de  dúvidas, é um grande diferencial. Tanto pelo reputação a ela associada, claro, como pelo fato de que após o término da formação saímos nos sentindo plenamente capazes de atuar.

 

Quais os principais impactos que o processo de consultoria gera nos seus clientes?

Essa pergunta é ótima! Não tem dinheiro no mundo que pague a satisfação percebida e os sorrisos recebidos ao longo do processo! Ver as minhas clientes munidas de autoestima, realizadas por se sentirem seguras de si, prontas para revelar uma identidade fortalecida, tanto pessoal como profissionalmente, são os resultados mais positivos do processo.

 

Quais as dicas que você dá para quem está iniciando no mercado?

Não julgar, não impor e saber ouvir!

É um exercício pessoal, eu diria. Mas muito necessário para a profissão e, por que não dizer, para a vida.

 

Para fechar, uma frase que te inspira.

Amo uma frase do livro das meninas da Oficina  de Estilo que diz mais ou menos o seguinte: a vida é curta demais para gastarmos tempo tentando parecer alguém que não seja a gente mesma.